segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Poemas de minha meninice...


[Sera tudo isto ilusao vivida?
E se o caminho nao for o mais correcto?
O desejo e incerto.

Infalível.
Instável.
Infiel.
O tempo trai.
Veloz.
Cruel.

E nada que julgue agora...
Saberei esclarecer.
Como o tempo sou,
E não o sei esconder.
Por vezes...
Que me traio...
Que me sou infiel...
Que infalivelmente,
Por vezes
Sou instável e cruel.

Sou igual ao desejo
Que meu coração concentra...
Aquele que me sufoca e aperta.
Sou incerta...

Logicamente nada posso garantir.
Nada posso prever.
Ter certezas do que irei viver.

Pois eu mesma posso me enganar,
E mais tarde vir-me a contradizer.

Nada sei.

Será então tudo isto ilusão vivida?
Será o caminho mais correto?
Não vou responder ao que não sei.
Eu não sei nada.

Vou viver largada
Despreocupada.
Sem pensar em vão...

Em nada.]
21-02-2007

2 comentários:

Leonel Auxiliar disse...

Gostei muito! É raro encontrar frescura em poemas que me digam ao ouvido que há esperança ainda. Gostei e também gostava imenso que pudesse participar na nossa página de poesia do facebook:

http://www.facebook.com/pages/Covil-de-Poetas/266776327803

Quer aceite quer não, aqui fica um obrigado.

Stela disse...

Ei Mary, como assim vc é poeta e nem me avisou? uahuahauahuha
adorei este, vc deveria postar mais hein, mto bom msm!
Bjão